Posicionamento e Sugestões da EAUFBA no contexto da COVID 19

-A +A
Origem: 
EAUFBA

Nos dias 25 e 26 de junho, respondendo a chamada da reitoria da Universidade Federal da Bahia (UFBA), a Escola de Administração realizou reuniões de Congregação de modo ampliado (com parte significativa dos seus docentes, técnicos e representações estudantis) com o objetivo de construir sugestões e posicionamento sobre as possibilidades de retorno às aulas no contexto da pandemia. 

Mobilizados por esse objetivo maior, no primeiro dia, a diretoria da EAUFBA apresentou brevemente o resultado de duas pesquisas realizadas junto ao corpo docente e discente acerca das possibilidades de retorno remoto das atividades de ensino. Em seguida, foi realizado um amplo debate acerca da conjuntura estabelecida pela pandemia, bem como, do contexto político brasileiro e seus impactos para a Universidade. Por fim, diante de tudo que foi debatido, a Congregação ampliada deliberou sugestões no sentido de se compor a proposta desta Escola, a fim de que junto com o posicionamento de outras unidades, a Administração Central tenha mais elementos para a formação de consensos e tomada de decisões. 

Dentre as sugestões da EAUFBA, aponta-se como principal meta retorno das aulas na modalidade de ensino remoto, tão logo se criem as condições necessárias tanto para alunos, como para professores e técnicos. Essa formulação geral é acompanhada de quatro eixos de sugestões que o coletivo entende como pertinentes para a composição de um conjunto de ações práticas.

No eixo das sugestões gerais, aponta-se: a) Necessidade de articulação ainda maior entre as diferentes unidades da UFBA para construção de soluções coletivas; b) Maior autonomia para unidades na busca de soluções, ainda que num contexto de decisões e ações conjuntas em toda a universidade; c) Estreitamento da colaboração da SEAD e STI com as unidades, e; d) importância de se ter um cronograma definido para a decisão que for tomada pelo conjunto da universidade.

No eixo das sugestões capacitação”, esta Congregação ampliada sugere que: a) seja criado um programa intensivo de capacitação dos professores abordando questões como métodos de ensino-aprendizagem remoto e ferramentas principais; b) seja criado um curso para alunos sobre o uso das ferramentas no ensino remoto. Neste sentido, a Escola de Administração da UFBA coloca à disposição da Administração Central da UFBA oito docentes que têm expertise no campo do ensino remoto e a distância e que se colocaram dispostos a contribuir com a construção desses processos formativos.

No eixo “condições de estrutura” para amparar na unidade o ensino remoto, a EAUFBA sugere que: a) seja criado um cuidadoso programa de empréstimo de computadores alocados na EAUFBA e demais unidades para os alunos que não possuam aparelhos de informática; b) Realização de compras de softwares necessários; c) qualificação do NUCINFO/EAUFBA e outros núcleos de informática das unidades para dar suporte aos alunos e professores; d) criação de um programa de monitores para apoio às atividades de ensino remoto; e) realização de parcerias com empresas diversas que possam disponibilizar equipamentos e acesso à internet; f) priorização do orçamento da UFBA e das unidades para criação de auxílio financeiro ao estudante visando a sua inclusão digital (algo que se traduz em um valor semestral de trezentos reais por aluno, o que possibilita a contratação de um plano mensal de internet de 8 giga (R$50,00 / mês) pelo período de seis meses). A EAUFBA coloca a disposição da Administração Central e da comunidade UFBA cerca de 250 computadores para tal fim, assim como um orçamento próprio de cerca de R$ 70.000,00, o que possibilitaria a implementação de 233 bolsas semestrais aos estudantes (o que corresponde a cerca de 20% dos seus alunos).

No que concerne ao eixo da flexibilidade acadêmica, a congregação sugere que: a) seja permitido o trancamento a qualquer tempo de disciplinas, sem prejuízo para o aluno. Tal trancamento não seria contabilizado no tempo máximo do aluno se formar; b) sejam realizadas as adaptações possíveis das  disciplinas práticas ao ensino remoto; c) seja permitido aos professores que eventualmente tenham limitações para o ensino remoto, ter substituída a sua CH de ensino por outras atividades previstas em seu contrato de trabalho, tais como, orientação, pesquisa, extensão e gestão, mediante PIT aprovado pelo Departamento.

É importante destacar as seguintes compreensões fundamentais da EAUFBA, que fundamentam a proposta aqui apresentada: 1) reconhece-se que a posição defendida aqui não é a ideal, mas a que aparenta ter menos danos ao coletivo de nossos alunos no momento atual; 2) que não se defende a transformação do ensino UFBA no modelo de Ensino a distância (EAD), mas sim que seja adaptado o ensino presencial ao remoto; 3) que tal adaptação citada no ponto anterior seja temporária, tão somente a existência da epidemia; 4) que defende-se uma decisão final colegiada por toda a UFBA, sendo esta tão somente a posição da EAUFBA; 5) que continuemos a defesa da autonomia universitária, da gratuidade e do compromisso maior com a qualidade e inclusividade de nossa universidade.

Seguindo a agenda de debates em torno dessa temática, no dia 26 de junho, a Congregação da EAUFBA ampliada apresentou ao nosso reitor Prof. João Carlos Salles os resultados dessa reunião, momento em que se renovou o sentimento desse fazer coletivo que é a Universidade Federal da Bahia, uma instituição que nos seus mais de 70 anos é pautada pela diversidade, excelência e complexidade.

Nestes termos, a EAUFBA reitera seu compromisso com as instâncias colegiadas da nossa Universidade e corrobora com o pensamento de que neste momento todos precisam ser incluídos sem distinções. É justamente essa característica que torna a Universidade Federal da Bahia uma instituição tão especial e importante na formação humanística e técnica de excelência.

Saudações universitárias,

Prof. João Tude e Prof. André Santos

Diretoria da Escola de Administração da UFBA

Compartilhe no Facebook! Compartilhe no Twitter!