UFBA será sede da 11ª Bienal da UNE, de 06 a 10/02

-A +A
Origem: 
EAUFBA

A UFBA vai sediar a partir desta quarta-feira, 6 de fevereiro, a Bienal da União Nacional dos Estudantes (UNE), um dos maiores encontros estudantis da América Latina. O tema do encontro que vai até domingo, 10, é “Gilberto Gil, um reencontro com o Brasil”, uma homenagem ao músico baiano de 76 anos, compositor e cantor que tem mais de 50 álbuns gravados. É ele o grande convidado da abertura do evento, no Teatro Castro Alves, a partir de 19h.

 

As atividades principais da Bienal da UNE serão realizadas no campus de Ondina da UFBA. São esperados mais de 10 mil estudantes, entre secundaristas, universitários e pós-graduandos. “A Bienal vai ser um grande espaço de articulação, produção, apresentação e divulgação cultural da nossa geração”, disse o coordenador do festival e integrante do Centro Universitário de Cultura e Arte da UNE (Cuca), Philipe Ricardo.

 

Em razão de as principais atividades da Bienal da UNE estarem previstas para acontecer nas instalações da UFBA em Ondina, a portaria Nº 7/2019 do Gabinete da Reitoria informa que não será permitida a circulação de automóveis nesse campus de 06 a 10 de fevereiro, exceto para aqueles previamente credenciados e cadastrados, com adesivos, pela Pró-Reitoria de Administração Proad). Nesse período estará suspenso também o funcionamento do Restaurante Universitário de Ondina e estacionamento da portaria 01, campus Federação, estará interditado entre os dias 05 e 10 de fevereiro. As atividades acadêmicas e administrativas serão mantidas, inclusive as matrículas previstas de alunos da graduação e da pós-graduação, assim como a inscrição semestral em componentes curriculares.

 

Bahia e Minas Gerais foram os estados com mais trabalhos inscritos na Bienal. Maranhão e Rio de Janeiro apareceram logo atrás. Os trabalhos distribuem-se pelas áreas de artes cênicas, literatura, música, artes visuais, audiovisual, ciência e tecnologia e projetos de extensão.

 

Palestras que abordarão temáticas sobre a internet, liberdade de imprensa e redes no Brasil, saúde, segurança pública e genocídio da juventude negra estão programadas. A educação também será assunto central em debates, entre eles, “Os desafios para uma educação crítica e emancipadora no século XXI”, na quinta-feira, 07, com o reitor João Carlos Salles da UFBA e o diretor do Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra, Boaventura de Sousa Santos. Entre outras mesas, serão expostos os desafios das escolas públicas e privadas.

 

Soberania nacional e meio ambiente será tema da palestra na Faculdade de Comunicação, na quinta-feira, 07/02, de 10h às 13h. Estão entre os convidados para a mesa os ex-ministros de Relações Exteriores, Celso Amorim,  do Brasil), e da Defesa, Jaques Wagner, atualmente senador pela Bahia, o diplomata Samuel Pinheiro Guimarães, o deputado Aldo Arantes, os professores Ennio Candotti, diretor geral do Museu da Amazônia (Musa) e Luiz Fernandes, da Pontifícia Universidade do Rio de Janeiro (PUC-RJ), o coordenador do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Paulo Rodrigues, o engenheiro Eron Bezerra, os jornalistas André Trigueiro e Rosana Jatobá, e os atores Letícia Sabatella, Cristiane Torloni e Marcos Palmeira.

 

A Bienal dos Estudantes nasceu em Salvador em 1999. Vinte anos depois volta à Bahia e, pela primeira vez, terá uma universidade pública como espaço central de encontros, debates e apresentações artísticas. Também é inédita a congregação das três entidades estudantis, União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES) e Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG) na organização do evento.

 

Qualquer estudante secundarista, universitário ou pós-graduando pode participar da Bienal, basta estar matriculado em uma instituição de ensino no ano letivo de 2019. As inscrições são realizadas no site inscricao.une.org.br. A taxa de inscrição é de R$150 até 6 de fevereiro de, e de R$ 200 na data da atividade. Com a inscrição, o estudante tem direito a alojamento e acesso a todas as atividades do festival.

 

Ao longo de duas décadas, a Bienal da UNE se caracterizou como principal instrumento de mapeamento e difusão da produção artística desenvolvida por jovens estudantes brasileiros. Como convidados, já passaram pela Bienal o próprio homenageado desta edição, Gilberto Gil, além de Oscar Niemeyer, Ariano Suassuna, Abdias Nascimento, Alceu Valença, Ziraldo, Tom Zé, Martinho da Vila, Augusto Boal, Beth Carvalho, Dona Ivone Lara, Lenine, Naná Vasconcelos, Criolo, Pitty e muitos outros personagens.

 

Confira a programação completa da Bienal.

Leia o Regulamento da 11ª Bienal da UNE.

Com informações da UNE.

Fonte: 
UFBA em Pauta
Compartilhe no Facebook! Compartilhe no Twitter!