Incubadora Tecnológica de Economia Solidária – ITES

-A +A

A Incubadora Tecnológica de Economia Solidária e Gestão do Desenvolvimento Territorial da Universidade Federal da Bahia (ITES/UFBA) realiza o trabalho de desenvolvimento, assessoria e acompanhamento a Tecnologias Sociais no campo da economia solidária em diversos territórios empobrecidos. Sua origem vincula-se a Escola de Administração da UFBA, através dos primeiros trabalhos investigativos sobre a temática, como no caso da pesquisa que buscou mapear as formas de organização da economia solidária no Brasil e na França (2002-2003), país o qual a ITES mantêm estreito intercâmbio de cooperação científica. Atualmente ela conta com um acúmulo no desenvolvimento de importantes projetos que ocupam uma equipe formada por pesquisadores, estudantes em nível de graduação e pós-graduação, técnicos, e estagiários, além de importantes parceiros no apoio ao desenvolvimento dos seus projetos que tem envolvido: PETROBRAS, CHESF, Dow Brasil, FAPESB, Governo do Estado da Bahia, Prefeituras municipais (Pintadas, Vera Cruz, Camamu), MCT/FINEP, MTE/SENAES e CNPq. 

 

A expertise da Incubadora volta-se para elaboração e execução de projetos destinados a constituição de redes locais de economia solidária como estratégia de promoção do desenvolvimento local de forma sustentável, enfatizando-se a intervenção em contextos territoriais específicos, em geral micro-territórios, a exemplo de um bairro popular, uma comunidade ou um povoado no entorno de pequenos municípios. Neste sentido, o processo de incubação implementado pela ITES envolve o apoio à constituição e gestão de diferentes tipos de empreendimentos e iniciativas articuladas em redes, a exemplo dos bancos comunitários de desenvolvimento, associações comunitárias, infocentros comunitários, cooperativas populares, fóruns públicos locais, grupos de cultura e empreendimentos coletivos. A idéia é o estímulo à constituição ou fortalecimento tanto de formas de auto-organização socioeconômicas, quanto formas de auto-organização sócio-políticas, numa plataforma de promoção de um outro modo de desenvolvimento local. Neste intuito, somam-se as atividades de assessoria na criação e gestão de tais empreendimentos, um conjunto de outras atividades voltadas para a formação de todos os envolvidos, para o diagnóstico da realidade socioeconômica e sócio-histórica do território, assim como, para o próprio planejamento do processo de desenvolvimento local-comunitário. Um destaque especial é atribuído ao papel dos Bancos Comunitários de Desenvolvimento e o recurso às moedas sociais, enquanto dispositivo de finanças solidárias nesta estratégia de incubação de redes locais de economia solidária. Esta tem sido uma das principais expertises em matéria de tecnologia social desenvolvido pela Incubadora, que ao longo de sua história atuou na criação de 20 bancos comunitários e assessorou e acompanhou mais 30 bancos existente, em sete estados da Região Nordeste (Bahia, Piauí, Alagoas, Sergipe, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará).

 

Essas tecnologias sociais são desenvolvidas através de um arranjo institucional universidade-comunidade na forma de construção da solução para resolução de problemas identificados pelos próprios atores envolvidos. A metodologia de incubação da ITES/EAUFBA por princípio trabalha privilegiando o diálogo e a participação dos atores envolvidos nas suas ações em diferentes espaços de gestão participativa. Neste projeto, os mecanismos de gestão participativa ocorreram através do contínuo diálogo com um número variado de atores presentes nos territórios de atuação dos Bancos Comunitários. Os integrantes dos BCDs participaram diretamente do todo processo de concepção da ferramenta desenvolvida, apontando as principais funcionalidades que essa tecnologia social deva ter.

 

Alguns projetos que foram desenvolvidos e estão em continuidade atualmente podem ser citados abaixo:

 

● Projeto EcoLuzia: Processo de incubação para o desenvolvimento local participativo na comunidade de Santa Luzia iniciado em 2005, município de Simões Filho/BA realizado em parceria com a Petrobras e atualmente conta com o apoio de órgãos públicos de financiamento. A rede local de economia solidária de Santa Luzia conta com o Banco Comunitário de Desenvolvimento ECOLUZIA, o Centro de Desenvolvimento Solidário e o Mercadinho Comunitário, o projeto ainda desenvolveu a construção de um conjunto habitacional que foi construído com a participação da comunidade beneficiária. Na incubação dos EES as atividades de formação realizadas visam apoiar a gestão dos empreendimentos fomentados e sua sustentabilidade socioeconômica, destaca-se o BCD ECOLUZIA e a circulação da moeda social Trilha que suscita o desenvolvimento da economia local e a sustentabilidade do território.

● Projeto Economia Solidária e Sustentável de Matarandiba (desde 2007), desenvolvido na comunidade de Matarandiba, município de Vera Cruz/BA na Ilha de Itaparica, realizado em parceria com a empresa Dow Brasil, Prefeitura Municipal de Vera Cruz/BA entre outras instituições apoiadoras. A rede de economia solidária de Matarandiba é constituída pela Associação Comunitária de Matarandiba, o Cineclube Cinemar, a Rádio Comunitária, a Associação Sociocultural de Matarandiba, o Infocentro Comunitário, o Banco Comunitário de Desenvolvimento Ilhamar, o Fórum de Desenvolvimento Comunitário, o grupo de produção agroecológica de alimentos, o grupo de ostreicultura familiar, além de novas iniciativas que começam a serem geradas, como a de uma mercearia e padaria comunitária e um ponto de leitura. Este processo de incubação constitui-se atualmente como uma experiência de reorganização associativa e apoio em diversas frentes de ação para criação de empreendimentos, enfatizando-se sua capacidade de gestão e uma forma renovada de avaliação da sustentabilidade que leva em conta a utilidade social de tais iniciativas em seu território.

● Projeto de Desenvolvimento Local de Cairu/BA (2008-2011), desenvolvido na sede do município de Cairu em parceria com a Petrobras. O projeto conta com as ações do Banco Comunitário de Desenvolvimento Casa do Sol, a Associação Clube das Mães e o Fórum de Desenvolvimento Comunitário de Cairu. Este processo de incubação compreende a criação e gestão do BCD Casal do Sol e da Moeda Social Tinharé, o apoio à constituição do FDC e elaboração de projetos para participação em editais públicos com vistas ao fomento e sustentabilidade das iniciativas criadas e identificadas a partir do mapeamento socioeconômico realizado também neste processo de incubação.

● O Projeto Bancos Comunitários de Desenvolvimento na Região Nordeste – BCDs NE (2010- 2015), contou com apoio da SENAES para fortalecimento das finanças solidárias no Brasil. O projeto fortaleceu 26 BCDs existentes e criou 06 novos nos estados do Nordeste, além da criação da rede baiana de bancos comunitários de desenvolvimento. Tal projeto compreende um trabalho importante de fortalecimento na capacidade de gestão dos BCDs.

● O Projeto Bancos Comunitários de Desenvolvimento da Região Nordeste em Rede– Rede BCDs (2014- 2017), contou com apoio da SENAES para fortalecimento das finanças solidárias no Brasil. O projeto fortaleceu 20 BCDs existentes e criou 10 novos nos estados do Nordeste, além do apoio na articulação desta iniciativas através da participação em encontros estaduais,regionais e nacionais do movimento das Finanças Solidárias, a exemplo dos Encontros Nordeste e Nacional dos Bancos Comunitários de Desenvolvimento, fortalecendo deste modo as práticas dessas iniciativas a níveis nacional e regional.

 

Somam-se a estes, projetos voltados ao desenvolvimento de tecnologias sociais destinadas ao fortalecimento da dinâmica de gestão dos próprios empreendimentos apoiados: ECO-REDES - “Fortalecimento de Redes Locais de Economia Solidária” (SETRE/FAPESB) – 2008/2011; ECO-REDES AMBIENTAL /FAPESB/SETRE/SEMA – 2010/2012; PRONINC I – “Implantação da ITES/UFBA” - (MTE/FINEP) – 2007/2011; PRONINC II – “ INCUBA-REDES”– UFBA-UFC-UFU (MTE/SENAES/FINEP) – 2010/2012; PRONINC III –”Fortalecimento da ITES/UFBA -(MTE/FINEP) – 2010/2013; ECOSOL e EJA – “Economia Solidária e Educação de Jovens e Adultos ( MEC/SECAD) – 2010/2012;

 

 

Compartilhe no Facebook! Compartilhe no Twitter!